Faz como eu digo, não como eu faço

The estimated reading time for this post is 17 seconds

Acho irónico que os comentários no blog do Movimento Liberal Social necessitem de registo e aprovação. Sou o único a achar isto uma atitude, no mínimo, limitadora da liberdade individual?

É por estas e por outras que, a cada dia que passa, a política em Portugal é cada vez mais uma piada.

7 Replies to “Faz como eu digo, não como eu faço”

  1. Para se comentar no blogue do MLS é necessário registar-se de facto, mas não existe moderação a nível de comentários (a não eventualmente em casos de comentários racistas, violentos, etc., que não aparecem há muito tempo).

    A razão de ser do registo é que pura e simplesmente esse passo diminui significativamente o número de spam que chega ao blogue.

    Outra razão é que o registo sobe um pouco o nível da discussão, dado que os “anónimos” têm muitas vezes a tendência a “aparvalhar” o seu discurso.

    O facto de defendermos a liberdade não significa que qualquer um possa vir à nossa casa deixar links para os seus sites ou desconversar, liberdade implica responsabilidade.

  2. Miguel,

    infelizmente, a desculpa do spam já não pega. Como se vê neste blog, não precisa de registo, pode comentar à vontade e o spam é prevenido com um simples plugin. Posso dizer que, desde que o comecei a usar, devo ter a média de um comentário spam por mês.

    Antes de mais, este blog é pessoal, não tendo/devendo reger-se por qualquer principio que não o meu. Quanto à moderação à priori, essa sim, serve para prevenir os comentário mais idiotas e, de qualquer maneira, só modera o primeiro comentário da pessoa. Depois de ter sido aprovado já não precisa de aprovação para os próximos. 😀 Depois disso, é sempre possível moderar os comentários, e sim, depois de publicados.

    Não preferiam uma solução destas para o vosso? É que, como disse, só o facto de me obrigarem a registar está a interferir no meu direito à privacidade.

    Espero que isto responda a qualquer dúvida.

    Um abraço,
    Duarte

  3. Existem várias formas de se combater o Spam. Este plugin é uma delas (embora incomode), sem dúvida. Nós optámos por outra que também tem funcionado.

    Quanto ao direito à privacidade, ninguém obriga quem quer que seja a comentar. É uma opção pessoal e que me parece dá perfeitamente para se viver sem ela. No limite, se alguém quiser mesmo fazer um comentário de forma anónima arranja um email de propósito para o efeito, sendo que não temos intenções de perseguir quem quer que seja por causa disso.

    Liberdade implica responsabilidade (ex: assumir responsabilidade pelo que escrevemos), e no MLS não somos propriamente defensores da anarquia. Aliás, não sei se reparou mas todos nós colocamos o nosso nome próprio (não apenas iniciais que dizem pouco) e quase sempre fotografia nos textos que publicamos.

  4. Bem, eu nem sei pode onde pegar.

    Pelo principio costuma ser o melhor:
    – quer comparar o plugin ao registo? De certeza?
    – se calhar estou enganado, mas a simples possibilidade de dar a minha opinião anonimamente é um direito. Se não, para quê o voto secreto? Aliás, o voto secreto é mesmo isso, a opinião anónima.
    – no limite criar um email? Ou seja, vamos complicar uma coisa simples?
    – ainda bem que não defendem a anarquia, mas esperava que defendessem a liberdade a sério e não só no nome.

    Assim, e infelizmente, ainda nada do que escreveu me fez mudar a opinião expressa no post.

  5. “se calhar estou enganado, mas a simples possibilidade de dar a minha opinião anonimamente é um direito”

    Não o é sequer em teoria no seu blogue (o email também é de introdução obrigatória no formulário de comentários).

    E reafirmo que se no nosso blogue lhe pedimos um email não me parece que lhe estejamos a infringir a sua liberdade, só comenta quem quer e existem muitos blogues por aí onde pode comentar anonimamente.

    Nós gostamos de subir um pouco o nível da discussão e para tal preferimos não ter comentários anónimos (e não ter spam).

    “mas esperava que defendessem a liberdade a sério”

    Liberdade com responsabilidade é liberdade a sério e a única possível. Por exemplo, pintar graffitis e tags nas paredes é certamente uma forma de expressão, mas é irresponsável pois prejudica os proprietários dos edifícios e degrada o ambiente urbano (na maior parte dos casos).

    Quem gosta de discutir política vem ao nosso blogue e revela quem é. Quem quer mandar bocas pode ir aos comentários do Público e dizer todas as asneiras que quiser.

    Não estamos a propor nenhuma lei que retire ao cidadão a possibilidade de navegar anonimamente na Internet ou publicar anonimamente conteúdos na Internet, muito pelo contrário. E esses é que seriam temas relevantes para se discutir.

    Aliás, pegando no seu comentário inicial:

    “política em Portugal é cada vez mais uma piada”

    A política em Portugal tem cada vez mais piada talvez porque ninguém de facto a leve a sério. E isso por muita piada que tenha, não tem piada nenhuma, pois a política deveria ser uma coisa para se levar muito a sério.

  6. Pensei que tivesse ficado claro que o meu blog não é exemplo, pelas razões referidas nos meus comentário anteriores e porque esse campo de email não pede um mail válido, até pode pôr “xpto@abcd.ef”. Tivessem implementado uma solução destas e eu já me daria por satisfeito.

    Depois, está a assumir à partida que quem comenta anonimamente não tem opiniões válidas. Isso não só é preconceito como também é descriminação.

    E sim, concordo com a parte da liberdade/responsabilidade mas, como parece, nem o MLS se assume como sério. A politica, princípios, whatever, não são coisas em que escolhemos quais e como: ou bem que são ou não são. Para os partidos de aparências já bastam os do parlamento.

Leave a Reply