A minha vida com vizinhos muçulmanos

The estimated reading time for this post is 66 seconds

Há uns meses mudou-se para o meu prédio uma familia muçulmana. Não tenho razões de queixa: não fazem estrilho e ainda não rebentaram com o andar. O homem da casa fala português e a única vez que o vi estava muito sorridente. Será que ele sabia algo que eu não sabia? Os filhos também sorriem mas não falam. A mulher (ou mulheres?) practicamente não fala, está coberta por tecido da cabeça aos pés, menos a cara, e se bem me lembro, até podia ser considerada bonita. Nela nunca vi um sorriso. Isto pode dever-se a várias situações:

  • É proibido na cultura dela sorrir ou estabelecer qualquer contacto com outras pessoas.
  • Tem tantas nódoas negras espalhadas pelo corpo, daí estar tudo escondido com roupa, que sorrir lhe causa uma dor atroz.
  • As operações plásticas que fez impedem-na de esboçar um sorriso, na medida em que rebentava com os liftings.

Mas o que me irrita sempre é o facto de chegar a casa e todos os elevadores estarem no andar deles! E eles moram lá p’ró 14º andar! Imaginam a eternidade por que se espera por um elevador? E que mania é aquela de andarem em grupo, que têm de ir em vários?

3 thoughts on “A minha vida com vizinhos muçulmanos”

  1. O que me irrita de verdade no mundo muçulmano e no Corão é a antiguidade e o desrespeito pelos direitos da mulher. (E atenção que o mundo católico já viveu o mesmo problema, felizmente evoluiu).

    Achas que tinhas motivos para sorrir se os teus direitos fossem os mesmos dum cão ou de um gato? E tivesses que andar todo tapado? Manipulado pelos interesses doutra pessoa?

    Foi por isso que a senhora não sorriu.

  2. Nem sei se eles serão assim tão fundamentalistas. E não podes ser assim tão critico com os muçulmanos em geral: há mts paises onde as mulheres andam descobertas, como a Tunisia, Turquia e até no Irão. Está certo que não devem ser muito bem vistas pela sua sociedade em geral, mas “que las hai, las hai”. (Isto foi a minha tentativa de escrever castelhano.)

Leave a Reply