Acabei há poucos minutos de ver a segunda série ad…

Acabei há poucos minutos de ver a segunda série adaptada para TV do saga Dune. NMHO, está melhor que a primeira, transmite um sentido épico maior e dá mais emoção àquilo tudo. É claro que nada se compara a ler os livros, mas acho que vale a pena ver.

“When it rains, it pours.” Estava hoje a prepar…

“When it rains, it pours.”

Estava hoje a preparar-me para sair, quando toca um vizinho à porta. Era só para dizer que tinha a janela do carro do lado do condutor partida. Nesse momento comecei a ver a minha vida a andar para trás… Aliás, acho que ainda me lembro dos dias no jardim infantil…

Quando chego lá abaixo, vejo se falta alguma coisa, e… é claro… faltava a parte destacável do rádio. Ainda tentaram tirar o dito tijolo, mas arrependeram-se e resolveram deixar as marcas da tentativa e levar como recordação o destacável. Ah, e eu tinha um teste às 12:30. Depois de uma voltas “engraçadas” para pôr o jipe a trabalhar lá fui eu à minha vida, e o mano puto resolveu tratar da parte burocrática (pelo que estou muito agradecido!): participação à policia e seguro.

Isto só me faz lembrar a “Árvore dos Espatafúrdios”: não há nada que aconteça…

E já que estamos numa de testes estúpidos: Whic…

E já que estamos numa de testes estúpidos:


Which Grunge Band Are You?

E ainda, este é capaz de ser útil…

Disorder Rating
Paranoid: Low
Schizoid: Moderate
Schizotypal: Moderate
Antisocial: Low
Borderline: Low
Histrionic: Low
Narcissistic: Low
Avoidant: Low
Dependent: Low
Obsessive-Compulsive: Low

Personality Disorder Test – Take It!

Quebrando tabús Imaginem que têm de fazer dois…

Imaginem que têm de fazer dois trabalhos, um fácil e outro difícil. Sabendo isto, quando se pergunta a alguém qual prefere fazer primeiro, normalmente, essa pessoa vai responder que prefere fazer o difícil porque assim despacha logo o que dá mais trabalho. Ora, isto parece-me um erro.

Se repararmos bem, se já sabemos que um dos trabalhos é mais difícil, é também normal que esse seja o que vai demorar mais tempo. Nas situações em que temos de entregar/fazer as duas tarefas vai correr-se o risco de ao acabarmos o mais dificil já não termos tempo para o outro. Assim, não seria mais lógico fazermos primeiro o fácil que nos ocupa menos tempo? É que assim despachava-mos logo um deles e todo o tempo que sobrasse seria dedicado ao mais dificil. Além disso, se houver mais pessoas na mesma situação, que escolheram fazer primeiro o difícil, já se pode tirar partido do que elas fizeram até agora.

Tive que tirar as fotos da lomo ali de baixo porqu…

Tive que tirar as fotos da lomo ali de baixo porque estavam a lixar isto tudo.

I’m just watching a bad dream I’d never wake u…

I’m just watching a bad dream I’d never wake up from.

Find out what anime bad boy you are.

É que ainda por cima era mesmo este que eu queria!

Ehehehehe….

Excerto de conversa no elevador, entre mim e o Ped…

Excerto de conversa no elevador, entre mim e o Pedro:

Pedro – A que horas tens aulas amanhã?

Duarte – 8:30.

P. – E a que horas sais? (N.R.: de casa)

D. – 9.

P. – (Olhar reprovador).

Tenho que perguntar ao Nuno o que é que ele não go…

Tenho que perguntar ao Nuno o que é que ele não gostou…

Continuando a pôr as “etiquetas” nos amigos, aqui vai mais um:

– O amigo “pródigo”. Foi, neste caso, o primeiro amigo quando me mudei para uma escola nova. Com o tempo o contacto foi-se perdendo, mas “regressou” há pouco tempo melhor do que antes e com muito para contar. Nome: Philip.

Já agora, não quero com isto dizer que as pessoas mencionadas são isto. Na verdade, cada uma delas é mais do que a soma das partes. O que quer que seja que isto queira dizer…

No outro dia reparei que o grupo de (velhos) amigo…

No outro dia reparei que o grupo de (velhos) amigos que tenho dava qualquer coisa do estilo “American Pie/Road Trip“. Vejamos, em nenhuma ordem particular:

– O amigo “génio/excêntrico”. Antes de mais, odeia que lhe chamem “génio”, pois isso ele não é. Mas para o nome ficar bem, tinha que ser. Ele é aquele que foi mais longe (literalmente) na sua carreira académica, e se safou bastante bem. Além disso, conseguiu, e consegue, viver quase todos os dias uma aventura de contornos mais ou menos bizarros. Que se lixe, vou dizer nomes: Nuno.

– O amigo “católico”. Não há dúvidas de quem ele é. Vive segundo altos valores morais e éticos, sempre disponível a ajudar o próximo. Apesar de tudo, é mesmo ele quem se safa melhor com o sexo oposto. Nome: Pedro.

– O amigo “vinho do Porto”. Tal como o nome indica, ao longo dos anos foi melhorando, em todos os aspectos, aprendendo com a vida, sofrendo desilusões e apreciando os bons momentos. E continua a melhorar. Nome: Tiago.

– O amigo “casado”. Ele também não engana, é o que tem namorada fixa há mais tempo (mesmo muito tempo), infelizmente não falando tanto com os amigos como antes. Nome: André.

– O amigo “artista”. Ele é o radical e criativo do grupo. Já pintou o cabelo, já teve barba, pêra, etc.Tem as conversas mais profundas, apesar de nem toda a gente concordar com ele nesse assunto. Nome: Hugo.

Espero não ter ofendido nem esquecido ninguém com isto. É apenas um pormenor engraçado imaginar um filme com estas personagens. Eheheh, se alguém quiser fazer o meu perfil… Estou curioso…

É lixado ter amigas em que um gajo pensa: “a miúda…

É lixado ter amigas em que um gajo pensa: “a miúda é porreira…”, “será que…?”, “… e ela também…?”. Ainda mais se elas tiverem namorado… :-