Desta vez é um pequeno conto de uma menina chamada…

The estimated reading time for this post is 92 seconds

Desta vez é um pequeno conto de uma menina chamada Ana. Vejam-no como uma fusão entre o “Capuchinho Vermelho” e aqueles anúncios da prevenção rodoviaria…

Há não muito tempo atrás uma bela rapariga estava a caminho de casa da sua avó na sua bicicleta de montanha. Ela ia lá para ajudar a avó na prova do seu vestido de noiva (ela ia casar-se pela sexta vez).

A casa da sua avó não ficava assim tão longe mas uma vez que ia de bicicleta, a viagem acabou por se tornar maior. Além disso ela teria de ir pelo caminho ao longo da costa – o atalho que ela conhecia era através de uma floresta cheia de obstáculos e ela receava cair.

No caminho surgiu um homem numa potente mota. Ele era homem muito atraente, de cabelo comprido e vestido de cabedal. Mas sem capacete.

Ele perguntou-lhe se ela não preferia vir na sua mota e ela disse que não porque era contra meios de transportes poluentes e ainda por cima ele não tinha capacete para ela usar.

Qualquer um diria instantaneamente que, pelo olhar dele, ele tinha ficado a gostar MESMO daquela rapariga. Mas ele aceitou a escolha dela e seguiu floresta adentro. Ora bolas!…

A rapariga finalmente chegou ao seu destino e a primeira coisa que a sua desesperadamente chorosa avó lhe disse foi que o seu noivo havia tido um acidente de mota na floresta. Mortal.

Moral da história: Usar SEMPRE capacete quando se vai andar de mota pela montanha. Na noite seguinte a nossa rapariga teve um psadelo em que perguntava à sua avó porque é que ela estava a usar lingerie de cabedal por debaixo do seu vestido de noiva. Ela respondeu-lhe:

-Não sei… Às vezes a pergunta vale mais que a resposta.

Leave a Reply